Docs. selecionados:

Pesquisa Avançada
Voltar aos arquivos



Info

11.3. Roteiro Produção Literária Portuguesa Séc. XVI
ROTEIRO DA PRODUÇÃO LITERÁRIA PORTUGUESA NO SÉCULO XVI
Desde o início da utilização da imprensa até à dominação filipina
Autor: José da Felicidade Alves

Nota introdutória dos organizadores da edição
A presente obra, intitulada Roteiro da Produção Literária Portuguesa no Século XVI tem, como principal base de referência, a Bibliografia das Obras Impressas em Portugal no Século XVI publicada, em 1926, por António Joaquim Anselmo. À partida, tem todo o interesse salientar as diferenças entre os dois projectos, não só quanto aos aperfeiçoamentos que foi possível introduzir ao cabo das sete décadas que os separam, mas também quanto à finalidade e características de apresentação adoptadas pelos respectivos autores:
1. A investigação de Felicidade Alves contempla um plano mais amplo, que representa uma organização clarificadora do legado literário português impresso durante o século XVI: listas separadas das obras em língua portuguesa e em língua latina e, em ambos os casos, tratamento separado das obras impressas em Portugal e das obras impressas no estrangeiro.
2. Visando toda a produção portuguesa do século XVI, o autor do Roteiro inicia a recolha sistemática de inéditos, propondo lugares e metodologias de investigação. Dispensa ainda a atenção possível à indicação de obras que se perderam ou de que desconhecemos o paradeiro.
3. Apesar de não cumprir todos os requisitos específicos de um ficheiro catalográfico, o Roteiro selecciona os elementos de apresentação das produções impressas, resumindo-os e adaptando-os às necessidades dos muitos estudiosos que, não sendo bibliófilos especializados, procuram a informação nuclear, apresentada em ortografia actualizada.
4. Introduz numerosas correcções e significativos aperfeiçoamentos ao trabalho de Anselmo:
a) racionalizando a apresentação (desdobrando notícias sobre obras distintas reunidas por Anselmo sob número idêntico – 92 obras isoladas desta maneira – ou, mais raramente, evitando repetições);
b) ordenando as produções por datas (décadas), para facilitar a contextualização;
c) corrigindo alguns lapsos nas transcrições efectuadas de Diogo Barbosa Machado e de Inocêncio Francisco da Silva;
d) carreando elementos novos de obras avulsas;
e) ensaiando uma classificação das obras por conjuntos temáticos;
f) integrando, sobretudo, as valiosas informações recolhidas nos Livros Antigos Portugueses. 1489-1600. Da Biblioteca de Sua Majestade Sereníssima, descritos por s. m. Sereníssima El Rei D. Manuel II, ainda inéditas em tratamentos sistemáticos desta natureza, pelo menos no que toca ao século XVI.
Pelas razões expostas, os organizadores da edição, ao colocarem este legado de J. Felicidade Alves ao alcance dos investigadores e de todos os estudiosos da literatura do século XVI, têm consciência de contribuir para um melhor conhecimento e mais rigorosa avaliação desse brilhante período da cultura portuguesa. O autor consumiu milhares de horas na elaboração do Roteiro seguindo a metodologia tradicional de trabalho, ou seja, sem recurso às novas tecnologias. Quanto a estudos similares sobre o século XVI, não se conhece obra tão exaustiva e organizada como esta.
Os organizadores da edição:
Arnaldo do Espírito Santo
Professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Departamento de Estudos
Clássicos)
Abílio Tavares Cardoso
Professor associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa(aposentado)
João Maria Salvado Ribeiro
Psicanalista. Doutorado em Psicologia pela Sorbonne, Universidade de Paris.