teste de js

ARQUIVOS E MEMÓRIA

Os arquivos são essenciais à Memória. Preservar e disponibilizar a documentação dos nossos arquivos é, por isso, uma tarefa de grande prioridade. Para a gradual constituição de uma comunidade de arquivos de língua portuguesa temos, a partir de agora, esta Casa Comum.

Com este projeto, sublinhamos a importância da conservação dos documentos para as gerações futuras, a confiança que os arquivos devem inspirar em matéria de preservação da autenticidade e da fiabilidade da informação de que são guardiães e a sua relevância enquanto elementos de identidade da memória e da história individual e coletiva.

Visite os Arquivos



Para informações ou sugestões, use o email: info@casacomum.org

Editorial
1 de Julho de 2016

Disponibilizamos hoje nova documentação, designadamente de Alberto Pedroso, de Kalidás Barreto e correspondência de Bernardino Machado.
Colocamos também online o catálogo que acompanha a exposição do Memorial da Escravatura e do Tráfico Negreiro, em Cacheu, Guiné-Bissau.
Com mais estes passos, entendemos fortalecer o papel deste portal, aberto aos investigadores e ao público em geral.
Memorial da Escravatura e do Tráfico Negreiro

1 de Julho de 2016

Pode aceder ao catálogo e visitar a exposição permanente do Memorial da Escravatura e do Tráfico Negreiro, inaugurado a 8 de julho de 2016 em Cacheu, na Guiné-Bissau.
Documentos Casa dos Estudantes do Império

29 de Fevereiro de 2016

Com a presença de antigos sócios da CEI e de representantes da UCCLA, foi hoje assinado o protocolo de depósito no Arquivo & Biblioteca da Fundação Mário Soares da documentação da Casa dos Estudantes do Império (1944-1965) reunida pela Associação Casa dos Estudantes do Império.
Acesso ao Diário de Lisboa

19 de Julho de 2013

Percorra as páginas do Diário de Lisboa, nas suas várias edições, através de um calendário que lhe permite conhecer o jornal dia-a-dia.
500 anos Portugal-Timor

A 28 de novembro de 2015, a República Democrática de Timor-Leste assinalou os 500 anos da chegada àquele território dos navegadores e missionários portugueses e o 40.º aniversário da Proclamação da Independência.
O Arquivo & Museu da Resistência Timorense e a Fundação Mário Soares organizaram para o efeito uma exposição e um catálogo, em 3 línguas (tétum, português e inglês).
40 Anos - Independências

20 de Agosto de 2015

A Fundação Mário Soares assinala as independências das ex-colónias portuguesas, lançando diversas iniciativas que pretendem ilustrar, na sua diversidade, o que aconteceu há 40 anos.
A ditadura conduziu Portugal a uma guerra em 3 frentes contra as aspirações independentistas das suas colónias, recusando quaisquer negociações. A matriz colonialista do regime pretendeu assim contrariar as independências que varriam a Ásia e África e manter subjugados os territórios e as populações sob administração portuguesa.
Listas do MUD
As "Listas do MUD", recuperadas e disponibilizadas em casacomum.org, são constituídas por um total de 2.605 listas numeradas, integrando 57.131 assinaturas, recolhidas em menos de um mês de actividade do Movimento de Unidade Democrática.
Manteve-se a organização exacta das pastas que continham as referidas "Listas" e, embora com eventuais inconvenientes de rapidez de acesso, entendemos não separar as folhas de cada pasta, indicando o número de assinaturas delas constante.
CPDOC, Fundação Getúlio Vargas

30 de Outubro de 2015

Por amável cedência do Diretor do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, fornecemos em casacomum.org o levantamento dos documentos referentes às ex-colónias portuguesas existentes no respetivo acervo documental. Embora nem todos esses documentos estejam já digitalizados, cremos que o acesso será gradualmente disponibilizado.
Alberto Pedroso

20 de Agosto 2015

Iniciamos hoje a disponibilização dos documentos de Alberto Pedroso, ainda em tratamento.
Nascido a 7 de Abril de 1930, faleceu em 1 de Janeiro de 2011. Estudou na Escola Comercial Veiga Beirão e no Instituto Comercial de Lisboa, tornando-se técnico de contas.
Resistente antifascista, participou activamente em actividades de oposição ao regime, desenvolvendo intensa actividade de dinamização cultural. Colaborou em numerosos jornais e revistas e editou estudos sobre personalidades marcantes da vida cultural e política portuguesa.
António Rita-Ferreira

20 de Agosto de 2015

A Fundação Mário Soares tem vindo a tratar um conjunto documental com origem em António Rita-Ferreira (1922-2014), importante etno-historiador e funcionário colonial português, que viveu e dedicou grande parte da sua vida a Moçambique. A documentação foi cedida pelo seu filho Filipe Rita-Ferreira.
Este fundo documental, com a dimensão de 2,88 metros lineares (correspondentes a 32 pastas de arquivo), é constituido por diferentes tipologias documentais, de variadas temáticas, destacando-se o núcleo relacionado com a actividade científica de Rita-Ferreira, onde se incluem alguns inéditos, bem como inúmeras separatas e estudos de outros autores, alguns raros e difíceis de localizar. Igualmente de nota é o núcleo relacionado com a sua actividade profissional, que constitui, estamos em crer, um verdadeiro fresco de mais de 30 anos de vida da então colónia.


José Tristão de Bettencourt

3 de setembro de 2015

Foram hoje entregues ao Arquivo Histórico de Moçambique os originais e as cópias em suporte digital dos documentos José Tristão de Bettencourt, que exerceu as funções de Governador-Geral de Moçambique entre 1940-1946.
O espólio de José Tristão de Bettencourt foi adquirido por intermédio do Prof. Doutor José Mariano Gago e do Dr. Luís Almeida Gomes, sendo depositado na Fundação Mário Soares, que o reproduziu digitalmente e procedeu à sua descrição e classificação.
Na cerimónia de entrega esteve presente o embaixador de Portugal em Maputo.

Visite o Arquivo de Notícias