teste de js
Docs. selecionados:

Pesquisa Avançada
Voltar aos arquivos



Info

Luiz Francisco Rebello
Em 2010, Luiz Francisco Rebello entregou na Fundação Mário Soares numerosa documentação referente à sua actividade como advogado de presos políticos durante o regime fascista.
Avultam algumas peças de processos nos Tribunais Plenários e correspondência entre aquele advogado e os seus constituintes e autoridades policiais e governamentais.

Instituição
Fundação Mário Soares

Nota biográfica/Institucional
Advogado, mas também dramaturgo, crítico e historiador de teatro e autor de diversos ensaios, Luís Francisco Rebello nasceu em Lisboa em 10 de Setembro de 1924. Foi casado com a atriz Mariana Villar.
Licenciou-se na Faculdade de Direito de Lisboa em Julho de 1946, e como advogado defendeu vários presos políticos durante o regime fascista em Tribunais Plenários.
Desde muito cedo frequentou também os meios ligados ao teatro, travando conhecimento com vários artistas. Fundou e dirigiu, em 1946, juntamente com Gino Saviotti, o Teatro-Estúdio do Salitre. No ano seguinte, estreou-se como dramaturgo com a peça “Fábula em um Acto”. Escreveu e traduziu várias peças, tendo uma delas, “O Dia Seguinte” (1953), sido proibida pela Censura.
Em 1971, foi nomeado director do Teatro São Luiz, cargo de que se viria a demitir no ano seguinte por não concordar com as ingerências da Comissão de Censura.
Presidiu entre 1973 e 2003 à Sociedade Portuguesa de Autores e foi também vice-presidente da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores.
Em 1992 foi um dos fundadores, em conjunto com José Saramago, Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues, da Frente Nacional para a Defesa da Cultura.
Para além das peças de teatro que escreveu, traduziu ou adaptou, publicou vários ensaios e estudos sobre o teatro. Colaborou em inúmeros jornais e revistas, entre eles a Colóquio-Letras, o “Jornal de Letras”, a “Seara Nova” e a “Vértice”. Dirigiu também o “Dicionário do Teatro Português”, publicado em fascículos.
Faleceu em Lisboa, a 8 de Dezembro de 2011.

Dimensão
2 pastas